Premeditações da Atmosfera Voltaica

O velho Mago Cinza fala
Há muito tempo ninguém ouve
Não se lembra os timbres
Que permeiam seu entorno
Mudam as aparências
Corta o ar carregado
Um trovão que fala no coração
Dos homens meninos,
Das imperatrizes moças,
Das princesas de seu castelo
E daqueles que esqueceram
De tudo que se pode esquecer
O velho mago fala
As vozes vem de todas as diretrizes
E vai por todo canto
Suas revelações são dúvidas
Eretas ígneas inquietas
De quem sabe, de quem percebe
Que há algo de desconhecido
Onde antes se pastava