Assim sempre podia ser?

Uma foto publicada por Zeit (@galvesgustavo) em

Era apenas uma história
de que se ouviu falar. 
Um sanduíche de memória 
E um morango para agradar. 
Tapete de areia 
Por cima do mar. 
Duas fatias de pão, 
creme de nuvem, 
sol estrelado. 
Para a sobremesa, coração 
Que não desmancha
Quando se come
Do quintal ao banheiro 
Dentro ao final inteiro. 
E do mundo sozinha 
O acalento de se sentir minha. 
Um dia que se viu na sombra da luz do dia que termina. 
Quando que tudo muda,
Eu desapareço,
Dos erros me esqueço, 
como se não fosse o suficiente,
Do caminho apreço 
Que não há erro 
Senão no presente.